Maio

Início Inscrição de Projetos

 Agosto

Encerramento das Inscrições

 Setembro

Julgamento dos Projetos Inscritos

 Outubro

Divulgação Empresas-Finalistas

 Novembro

Cerimônia de Premiação

A Premiação

Atualmente, muito se tem falado sobre o Tripé da Sustentabilidade. Este termo tem como origem as dimensões econômica, social e ambiental levadas em conta no “Triple Bottom Line”. De fato, as empresas tem responsabilidades, entretanto a econômica não pode ser levada em consideração, pois já está implícita nas atividades empresariais, ou seja, se a empresa não tiver desenvolvimento econômico, se a empresa não der lucro, ela fecha as suas portas! Portanto, as empresas tem uma responsabilidade prioritária e esta responsabilidade é a de conduzir os seus negócios de maneira correta, honesta, íntegra, justa e ética. Se isto for exercido plenamente, as empresas se tornarão socialmente responsáveis e ecologicamente corretas naturalmente e assim, estarão trilhando o caminho da tão discutida, perseguida e necessária Sustentabilidade.

Podemos afirmar com tranquilidade que não existe e jamais existirá Responsabilidade Social sem Ética nos negócios; não existe e jamais existirá Responsabilidade Ambiental sem Ética nos Negócios; e muito menos conquistaremos o Desenvolvimento Sustentável sem Ética nos negócios. Ao contrário, teremos apenas a utilização (no passado) do Marketing da Responsabilidade Social e (nos dias atuais) do Marketing da Sustentabilidade. Ora, do que adianta uma organização se auto-intitular Empresa-Cidadã, se seu discurso corporativo for diferente das suas reais práticas empresariais. Este, inclusive, é o principal problema encontrado no mundo dos negócios contemporâneo. Ainda existe um gigantesco abismo entre aquilo que muitas empresas pensam e pregam com o seu modo de agir e realizar. Isto é, a grande preocupação é com a Reputação Empresarial (aquilo que as pessoas pensam que a empresa é) e, por muitas vezes, o Caráter Corporativo (aquilo que a empresa é de fato) é deixado de lado ou debaixo do tapete.

Porém, é preciso reconhecer que, ainda que se trate de uma prática empresarial apoiada nos manuais do marketing, isso de alguma forma tem beneficiado a sociedade, preservado o meio ambiente e a Sustentabilidade vem sendo perseguida. Além do mais, é visível o crescimento do número de empresários e executivos que abandonam esta cultura suicida e adentram, verdadeiramente, no universo seguro e lucrativo da Ética.

Ah! A Ética! Uma palavra pequena, tão falada e, nos dias de hoje, tão pouco praticada. Todos nós sabemos seu significado, mas é muito difícil de explicar quando alguém pergunta: Afinal, o que é Ética? Para o Instituto Brasileiro de Ética nos Negócios, a Ética pode ser mais facilmente compreendida como “tudo o que for bom, tudo o que for justo, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama”... Isto tudo é Ética!”

Cabe aqui outro questionamento: É fácil exercer a Ética? A resposta é: não! Primeiro, porque somos seres humanos e, portanto, falhos e imperfeitos. Segundo, porque nos deparamos com uma quantidade, cada vez maior, de dilemas éticos todo o santo dia e em todas as áreas de nossa vida. E, por muitas vezes, escolhemos o caminho correto, porém, em outras, mesmo quando queremos acertar, acabamos errando. Entretanto, não pode existir nada mais nobre, louvável e exemplar do que buscar a excelência quando o assunto é a Ética, seja como pessoa, seja como profissional, seja como empresa.

Aliás, sempre dizemos que as empresas não têm vida própria, somos nós que damos vida a elas e, se o conjunto das ações de cada um dos executivos e funcionários for ética... A empresa, naturalmente, será Ética!

Por todas essas razões, é que acreditamos que “a Ética é a base a Atuação Responsável, passaporte para a Sustentabilidade, a certeza de lucros constantes e a garantia da perenidade nos negócios”.

Como diz a professora Cecília Arruda da FGV-SP: Anos atrás, essa afirmação soaria filosoficamente maravilhosa. Na prática, seria utópica, e no mundo dos negócios, impraticável. Porém, atualmente, os empresários, dirigentes e executivos já se deram conta de que a Ética nos Negócios é algo sério e que começa a fazer sentido. Poderíamos ir até mais longe e dizer que “a Ética nos Negócios significa a sobrevivência das organizações”.

Compartilhamos como você uma das melhores definições da Ética e que, inclusive, nos faz refletir e repensar sobre nossas próprias ações, seja como pessoa ou como profissional, descrita no dicionário elaborado pelo Profº Francisco da Silveira Bueno:

“Ética é a parte da filosofia que estuda os deveres do homem para com Deus e a sociedade”

E é por todas estas razões que o Instituto Brasileiro de Ética nos Negócios criou mais uma inédita iniciativa para fomentar a Ética no meio empresarial: o Prêmio Ética nos Negócios.

Em 2016, a instituição manteve a mesma premissa! A 7ª edição do Prêmio Ética nos Negócios prestou merecida homenagem as outras pessoas que estão contribuindo para a melhoria da qualidade ética das empresas e dos negócios. Conheça os escolhidos!






Edição 2016 Edição 2015 Edição 2014 Edição 2013 Edição 2012 Edição 2011 Edição 2010



facebook flicker